DEUS, NÓS E O HAITI (1)



(1) Por Ednilson C. de Abreu

No dia em que as águas do tsunami varreram as costas asiáticas e indianas, varreu também convicções bíblicas de muitos crentes e teólogos, creio que mais uma vez com essa nova tragédia ocorrida no Haiti a fé de muitos poderá ser abalada e teólogos da linha processual, relacional ou do teísmo aberto estarão prontos a se levantarem e reafirmarem seus dogmas. Mas será este o caminho?


Penso que diante de um quadro como este que pode ser ampliado não só pela tragédia do terremoto em sí, mas pelo caos que já existia em termos da qualidade de vida do povo haitiano, povo esse oprimido espiritualmente, politicamente e socialmente, onde 80 por cento do pais vive abaixo da linha da miséria.

Uma coisa que para mim fica bem claro diante de tudo o que acontece no mundo é que Deus não precisa de advogado; Deus não precisa ser defendido; o que na verdade acaba sendo uma tentativa dos teólogos processuais, relacionais e afins,onde na busca de se tentar encaixar o ser e agir de Deus dentro das tragédias humanas e do mal no mundo acaba-se na verdade criando um outro Deus, diferente daquele que se revela nas Escrituras.

Deus é Deus Ele tem as “costas largas” o suficiente para segurar e assumir o ônus de ser quem Ele é. Quando Moisés perguntou em nome de quem ele se apresentaria diante da maior potencia do seu tempo e do povo escravo no Egito, ele ouviu a resposta simples, profunda, direta e absoluta de Deus: “Eu Sou O que Sou...Eu Sou me enviou a vós outros.” (Êxodo 3.14). Ou seja, Ele basta a si mesmo, Ele é Senhor de seus atos soberanos, Ele não deve explicação e nem precisa de defesa, seus motivos estão fundados nEle mesmo e suas ações estão acima de todo controle e crítica. Somos criaturas Ele é criador, somos barro Ele é o oleiro.

Para alguns minhas palavras talvez soem como um reducionismo ou uma simplificação, mas dentro de um olhar da criatura para o criador em seus atos soberanos assim é que é. (Is. 64.8; Rm 9.20)Isso não nos impede de pensar em alguns aspectos que fazem parte dessa reflexão da vida em sua complexidade e angústia, como lembrar por exemplo que toda tragédia tem sua origem fundamental no fato de vivermos em um mundo marcado pelo pecado em toda a sua crueza. Isso é fato.

Ao olhar agora para o Haiti, muitos irão chorar, lamentar e questionar: por que algo assim acontece? Mas o que temos feito ao longo de tantos anos para tentar frear a tragédia social estabelecida onde crianças, adultos e velhos chegam a comer biscoitos feitos de barro? Talvez agora com esta nova tragédia o mundo acorde e veja que existe um pais morrendo no caos da miséria e da injustiça e que precisa ser reconstruído em todos os seus aspectos.Talvez agora com a morte de milhares de uma só vez haja um freio para a morte agonizante de milhões ao longo dos anos. Fatos que poderiam ser evitados se os pecados da ganância, da insensibilidade e do desamor não estivessem estabelecidos e cauterizados em tantas almas. Não é esta uma tragédia silenciosa talvez maior do que este terremoto?

Outro aspecto que vale pensar nesse momento é que não temos como pensar em todas as implicações daquilo que poderá brotar a partir dessa tragédia. Os pensamentos de Deus estão muito acima dos nossos. Podemos especular e refletir, mas a definição dos fatos vem de Deus; e só o tempo; e no tempo de Deus se Ele assim o desejar; poderá nos revelar o que será gerado a partir da dor e do sofrimento de tantos de uma só vez, tendo em vista que dor e sofrimento já marcavam a vida daquele povo que aos olhos de muitos no mundo inteiro passavam ignorados completamente. Agora de um jeito ou de outro o Haiti será conhecido.

De fato na vida existem mistérios maiores do que podemos pensar, mas esses mistérios são mistérios em nossa perspectiva humana limitada, mas não para Deus, Deus nunca será pego de surpresa, pois Ele é Senhor da luz e das trevas, para Ele tudo está claro e seus planos estão coordenados e soberanamente definidos.

Os mistérios de Deus somente a Ele pertencem até que Ele nos revele quando assim o quiser, se assim o quiser. Enquanto isso nos cabe viver em completa dependência do Senhor e firmados em sua palavra: consolar os sofredores, trabalhar pela justiça, amar o próximo, ser voz dos mais fracos, proclamar a salvação em Cristo pela fé somente , viver uma vida que honre a Deus, e silenciar em temor e tremor diante de um Deus santo, justo, compassivo, sábio, amoroso e soberano em todas as suas obras. Aguardando o dia glorioso quando o Cristo glorioso será tudo em todos na restauração de todas as coisas e toda dor, sofrimento e injustiça estarão no tempo passado eternamente.


Pr Ednilson C. de Abreu

ednilsonpr@hotmail.com


Postado por Marcello de Oliveira

do blog:
A Supremacia das Escrituras

4 comentários:

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Graça e paz Tânia.
No livro de Naum está escrito que o nosso Deus faz o seu camino na tormenta. Eu posso não entender os seus caminhos, mas eu sei que existe um propósito em tudo isso. Deus sabe o que faz e questioná-lo é duvidar da Sua sabedoria.
Fique na Paz!
Pr. Silas

16 janeiro, 2010
Luís disse...

Olá Tânia!
Parabéns pelo blog, as matérias estão excelentes, já estou seguindo.
Quero aproveitar para divulgar o meu blog http://wwwadoradoresemverdade.blogspot.com/ quando puder faça uma visita.
Um abraço fik na paz.

16 janeiro, 2010
Tânia Regina disse...

A Paz Pr. Silas.

Obrigado pela visita, e com certeza pelas sábias Palavras, realmente, quem somos nós para contender com o Oleiro?
Sempre penso Ele é Deus e pronto, não tem que dar satisfação a ninguém.
É doloroso é, mais também creio sem dúvidas que há um propósito, e só Deus quem sabe.
Obrigado mais uma vez, seja sempre benvindo.
Deus o abençoe, sempre e em tudo.

Tânia

17 janeiro, 2010
Tânia Regina disse...

A Paz Luís.

Obrigado por tão carinhoso comentário, e seja benvindo em Nome de Jesus.
Fique à vontade, e com certeza já estou indo visitá-lo.
Deus o abençoe, sempre.

Tânia

17 janeiro, 2010
Ocorreu um erro neste gadget