Olhe novamente a foto e responda: É uma vida de fato ou não?

Informações importantes sobre a menina de Alagoinha!

              Créditos da foto: blog do Padre Edson Rodrigues

Tive acesso e decidi compartilhar informações sobre o caso da menina de Alagoinha que, grávida, fez um aborto. Como vocês sabem a mídia sacrificou a Igreja Católica, o arcebispo de Olinda e Recife e a Record aproveitou para tripudiar em cima do episódio. Agora, no blog do Padre Edson Rodrigues, da cidade de Alagoinha, pequenos detalhes, não citados pela grande mídia, estão vindo à tona. Dêem uma olhada e vejam como, aparentemente, o Estado e algumas ONGS decidiram pelo aborto, aproveitando-se de um estado complexo de confusão da mãe, que é quem poderia autorizar. Pinçei uma das frases (o link para o relato completo está logo abaixo).

Já a caminho do Palácio dos Manguinhos, residência do Arcebispo, por volta das cinco e meia da tarde, Dom José Cardoso Sobrinho recebeu um telefonema do Diretor do IMIP no qual ele lhe comunicava que um grupo de uma entidade chamada Curumins, de mentalidade feminista pró-aborto, acompanhada de dois técnicos da Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco, teriam ido ao IMIP e convencido a mãe a assinar um pedido de transferência da criança para outro hospital, o que a mãe teria aceitado. Sem saber do fato, cheguei ao IMIP por volta das 18 horas, acompanhado dos Conselheiros Tutelares de Alagoinha para visitar a criança e a mãe. A Conselheira Maria José Gomes subiu ao quarto andar para ver a criança. Eu e o Conselheiro Hélio ficamos embaixo esperando a volta de Maria José. Ela, na recepção do quarto andar, identificou-se e a atendente, certamente ciente que a criança não estava mais na unidade, pediu que a Conselheira sentasse e aguardasse um pouco, porque naquele momento “estava havendo troca de plantão de enfermagem”. A Conselheira sentiu um clima meio estranho, visto que todos faziam questão de manter um silêncio sigiloso no ambiente. Ninguém ousava tecer um comentário sequer sobre a menina.

Clique aqui para ler tudo.

Ressalto que tais ONGs atuam deliberadamente nos hospitais. A Curumim postou um protesto no Blog do Jamildo (clique aqui para lê-lo), onde inflaciona os números de estrupro no Estado, para justificar o apoio da rede de saúde pública ao aborto. Aquilo que vimos em livros dos EUA, como a ficção O Profeta, de Frank Peretti está se cumprindo entre nós. Ademais, a mídia está usando o caso da menina de Alagoinha para justificar o aborto.
Jamildo informa, hoje, que até Genoíno, fatura em cima do caso. Veja a sutilidade com o qual ele abarca todas as críticas à religião:

Já declarei várias vezes meu respeito à pluralidade, a todas as religiões; não sou homem de religião, mas respeito todas elas. Agora, a democracia se baseia na pluralidade, na separação da Igreja do Estado. Um caso como este deve provocar a reflexão de toda a sociedade”, disse o deputado Genoino.
Ele citou em seu discurso Simón Bolívar. “Ele já afirmava no início do século XIX que a religião é a lei da consciência. ‘Toda lei sobre ela se anula porque, impondo a necessidade do dever, retira o mérito da fé, que é a base da religião’. Isto é, quando a religião deixa de ser uma lei de consciência para ser uma lei de Estado, para ser uma lei para todos, ela deixa de ser religião. A religião é uma lei da individualidade, da espiritualidade e não imposição, como uma verdade imposta a todas as pessoas”, disse o deputado.

 Sugiro um posicionamento institucional da CGADB. Só não vale ser no Mensageiro da Paz, pois somente os evangélicos o lêem. Não podemos nos omitir. Olhe novamente a foto acima e responda: É uma vida de fato ou não?

do blog;
http://daladier.blogspot.com

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget