Aprendendo com a Bíblia



Sempre aprendi que a Bíblia é a Palavra de Deus, e que ela é um verdadeiro manual prático para as nossas vidas. E concordo com essa colocação. E vou mais além: muitos de nós, quando lemos seus belos e reveladores textos, temos o hábito de espiritualizar as passagens e, dessa maneira, perdemos uma série de importantes ensinamentos, que nos podem ser extremamente úteis em nossa vida diária.

Todas as vezes em que sou encarregado de pregar a Palavra, tenho a preocupação de estudar com atenção o texto escolhido ( ou determinado), para que possa extrair dele o máximo possível de informações, principalmente aquelas que possam vir a nos ajudar em nossa caminhada do dia-a-dia , e, para isso, sirvo-me de uma leitura mais atenta e do auxílio de comentários diversos.

Na semana passada, ao ser convidado para levar a Palavra a uma igreja, senti em meu coração de estudar melhor o texto do evangelho de Marcos, capítulo 6, versículos 30 a 44, uma passagem conhecida, publicada nos quatro evangelhos, e que mostra um dos milagres de Jesus, quando Ele, dispondo apenas de 5 pães e dois peixes, alimentou uma multidão de cerca de 12 mil pessoas.

O fato aconteceu já no terceiro ano do ministério de Jesus na terra, quando os apóstolos tinham acabado de voltar de Cafarnaum, da sua primeira missão de pregar o evangelho. Com certeza, eles estavam cansados, com fome, com os pés doloridos, já que, naquela época, as viagens eram feitas caminhando.

Como as pessoas viviam rodeando Jesus, o Mestre preferiu leva-los de barco até uma região mais sossegada, para que pudessem descansar um pouco.

Porém, mesmo assim eles foram vistos, e a multidão os seguiu e os cercou pelas margens, ou seja, não houve como ficarem a sós.

Diz o texto que , quando Jesus viu aquelas pessoas, compadeceu-se delas, quer dizer, sentiu amor por elas, porque pareciam um rebanho desgarrado, ‘ovelhas sem pastor’, pessoas que não sabiam para onde ir, a quem recorrer, precisavam de alguém que os desse direção.

E passou a ensiná-las, a discipulá-las.

E, já no final do dia, os discípulos chegam a Jesus e dizem: Mestre, é melhor despedir todo esse povo, para que eles saiam por aí e comprem comida, pois aqui onde estamos não há onde comprar nada.

Naquele momento, parece que aquelas pessoas se tornaram um incômodo para eles.

E para nós, será que as pessoas também são um incômodo ou são merecedoras do nosso amor?

Mas, Jesus, talvez para prova-los, respondeu: por que vocês mesmos não dão comida a essa multidão? (“Deem vocês mesmos comida a eles.” v.37)

E aí, a resposta foi aquela que nós mesmos daríamos: como? Com que dinheiro? Nós não temos dinheiro para comprar comida para todo esse povo. Não, nós não temos como! Era muita gente. 5 mil homens, fora as mulheres e crianças. O que fazer?

Mas, Jesus não se abalou diante da dificuldade.

E perguntou :”Quantos pães vocês têm ?” A resposta daria para desanimar a qualquer um, menos ao mestre: 5 pães e dois peixes.

Imagino a expressão daqueles homens naquele momento, imaginando o que Jesus iria fazer com 5 pães e dois peixes para que pudessem alimentar a todo aquele povo. Será que acreditaram que isso seria possível? Será que olharam para Jesus desconfiados?

Mas, o Filho de Deus não se abalou: dividiu toda aquela gente em grupos de 100 e de 50 e mandou que se sentassem. E , depois de dar graças, partiu aqueles pães e peixes, e mandou que os apóstolos os distribuíssem pelo povo.

E diz o texto, que todos comeram e ficaram satisfeitos!

E mais, diz ainda que sobraram 12 cestos cheios de pão e peixe!

Essa passagem, muito mais do que simplesmente narrar um dos milagres de Jesus, pode nos ensinar outras coisas importantes.

Podemos tirar como lição o fato de que, como discípulos de Cristo, não devemos nos preocupar com o nosso sustento, devemos servi-Lo conscientes de que, se buscarmos ao Reino em primeiro lugar , não nos faltarão meios para suprirmos as nossas necessidades básicas (Mt6.31-33). Assim, devemos encarar o trabalho para Cristo sem a preocupação com a falta do essencial em nossas vidas, pois, se o Mestre com apenas 5 pães e dois peixes alimentou toda aquela multidão, o mesmo Ele pode fazer por todo o Seu povo.

Outra lição que aprendemos, está implícita no versículo 37 (“Deem vocês mesmos comida a eles”). Muitas vezes, pensamos que alimentar as multidões não é tarefa nossa. E quando digo alimentar, penso , também , no alimento físico, como foi o caso naquele dia. Jesus, primeiramente alimentou o povo com os seus ensinamentos, e, depois, com pão e peixe.

Creio que essa passagem deixa claro a nossa responsabilidade com a evangelização e com o alimento do corpo também, como o Mestre determinou aos seus apóstolos. Claro que quem operou o milagre foi Ele, porém, o trabalho foi feito pelos discípulos.

Me chama a atenção, ainda, o escrito nos versículos 39 e 40, quando Jesus manda que o povo se sentasse na relva em grupos de 50 e de 100, para que pudessem receber o alimento.

Claro que, como Deus, Ele teria condições de alimentar toda aquela gente de várias maneiras, mas o Mestre pediu que eles se organizassem. Com certeza, fica aí uma mensagem de que, para que haja eficácia na Obra, deve haver organização. Mais uma vez, na Bíblia, vemos o povo sendo dividido em grupos menores , para que pudessem ser melhor atendidos. Essa mensagem pode nos remeter ao trabalho que efetuamos hoje (igreja local),que, com certeza, se for feito de forma sistemática, trará melhores resultados.

Também me chamou a atenção o escrito no versículo 41, quando Jesus abençoa os alimentos, os parte e entrega aos discípulos, para que esses os distribuíssem à multidão. Creio que, aqui, o Mestre nos deixa claro, mais uma vez, de que a Sua vontade é que nós façamos o trabalho. Ele abençoa os alimentos, mas somos nós que os distribuímos. Sem a benção de Jesus, não há o que distribuir. Portanto, qualquer trabalho na construção do Reino, antes deve passar pela benção de Cristo para que possa atingir as pessoas. Nada podemos fazer sem a Sua benção.

Outra lição importante está no versículo 42 ( “Todos comeram e ficaram satisfeitos”). Apesar de , inicialmente, serem apenas 5 pães e dois peixinhos, depois de abençoados por Jesus aqueles alimentos foram suficientes para toda aquela multidão. Quando colocamos perante o Senhor as nossas necessidades, Ele cuidará para que sejam atendidas. Se cada cristão no mundo colocasse o pouco de que possa dispor nas mãos de Cristo, haveria alimento para todos ! É só confiar Nele!

Constatamos, também, na leitura do verso 43, que todos se fartaram e que ainda sobraram 12 cestos cheios, que foram recolhidos para que não houvesse desperdício. Deus é generoso! Sempre nos abençoa com mais do que precisamos, mas nos ensina que não deve haver desperdício. Aprendo que temos desagradado ao Senhor com muitas atitudes que tomamos hoje, seja em nossas casas ou na vida que levamos. Os homens tem usado e abusado dos recursos naturais, gastamos mais água do que deveríamos, não tratamos convenientemente os esgotos, não reciclamos todo o lixo que poderíamos, enfim, creio que nesse texto há uma importante mensagem sobre como devemos aproveitar o máximo os recursos de que dispomos.

Mas, creio que o mais importante ensinamento dessa passagem , está no versículo 31, onde vemos que Jesus reuniu os discípulos e os levou de barco para um lugar calmo, para que pudessem descansar.

Quantas vezes isso também acontece conosco? Paramos para descansar, enquanto que as multidões estão por aí, perdidas como ovelhas sem pastor. Paramos para descansar, enquanto as multidões estão por aí, famintas, não só de salvação, mas de alimento mesmo. E os cristãos descansam...

Não, mesmo cansados da jornada da qual retornavam, eles decidiram não descansar.
Há muito o que fazer, multidões para ensinar e alimentar. Não, não podemos parar.. Mesmo que nossos pés estejam doloridos, o corpo , cansado das jornadas diárias, existem muitas ‘ovelhas sem pastor’ necessitadas da nossa ajuda e trabalho. Sim, Jesus opera o milagre, porém a tarefa de levar o alimento é nossa.

Que cada um possa meditar e mudar de atitude, para que as multidões possam receber o alimento de que tanto necessitam.


Fernando Marin
fonte:
circuloteologico.blogspot.com

1 comentários:

Noemi disse...

Gracias por compartir la palabra de Dios, les visito desde El Salvador Centroamerica, le invito a visitar mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
DOY MI TESTIMONIO PARA LA GLORIA DE DIOS.
DIOS TE BENDIGA.

10 abril, 2012
Ocorreu um erro neste gadget